Início » BLANDO APRESENTA “SWEET CAROLINE REWORK” EM HOMENAGEM AO PAI, RENAN DAL ZOTTO, TÉCNICO DA SELEÇÃO DE VÔLEI
Lançamentos Musicas

BLANDO APRESENTA “SWEET CAROLINE REWORK” EM HOMENAGEM AO PAI, RENAN DAL ZOTTO, TÉCNICO DA SELEÇÃO DE VÔLEI

O DJ e produtor brasileiro Blando está de volta com mais um lançamento cheio de significado. Em homenagem ao pai, o técnico da seleção brasileira masculina de voleibol Renan Dal Zotto, o artista fez um rework de uma das músicas mais icônicas da história mundial, “Sweet Caroline”, originalmente de Neil Diamond, que chega às plataformas digitais nesta sexta-feira (23) pela House Mag Records, nova sub-label da Warner Music Brasil.

Usando o coração e a alma em uma roupagem Pop/Slap House pronta para as pistas de dança, “Sweet Caroline Rework” é a releitura de um clássico de 69, apresentando um bass forte e synths marcantes, além de samples de bateria e diversas gravações de áudio. A versão original da track é muito significativa para o pai de Blando, que a utiliza como trilha sonora para momentos alegres e de comemoração. Sendo assim, a versão eletrônica é um presente para Renan, que completou 61 anos na semana passada, recuperado de um grave caso de Covid-19, quando Blando resolveu produzi-la.

“Em todos os churrascos, festas, eventos da seleção e comemorações, meu pai colocava essa música para tocar. Em 16 de abril ele foi internado por causa do Covid-19 e em três dias foi intubado. Enquanto estava nessa situação, minha mãe colocava áudios da família e a ‘Sweet Caroline’ para tocar toda vez que ia visitá-lo. Mesmo em coma, ele reconheceu a música e a chorou ao ouvi-la. A faixa estava auxiliando sua recuperação. Então, como uma homenagem a ele, durante esse período, resolvi fazer uma versão atual da música e colocar minha sonoridade. Foi um momento muito difícil para mim e com isso botei todas as minhas energias, frustrações e emoções na produção da música”, relata o DJ e produtor.

“Comecei a track com o vocal original e a construí a partir daí, colocando synths, bass, drums e outros elementos até sentir que estava com uma energia boa. Espero que os fãs gostem também assim como eu”, completa Blando.

A releitura já foi aprovada por Renan, que emocionou-se ao ouvir pela primeira vez a faixa de Blando depois de passar mais de um mês no hospital, e assegurou que além do talento, pôde sentir a entrega do filho no trabalho. “Fiquei muito emocionado, principalmente por todo sentido que a música tem, ficou sensacional”, conta.

Além disso, a versão de ‘Sweet Caroline’ de Blando foi reproduzida em quadra após as duas vitórias da seleção brasileira masculina de voleibol nos jogos contra a Tunísia e a Argentina nas Olimpíadas de Tóquio. Outra prova do sucesso da faixa está nos números: 30 mil visualizações no YouTube em menos de 24 horas após o lançamento.

 

 

Aos 11 anos, Enzo Dal Zotto, nome por trás do projeto, começou a tocar e logo se tornou residente do Taikô Beach Club, em Jurerê Internacional, chamando atenção não só pela pouca idade, mas também pela habilidade na CDJ e repertório. O artista foi convidado para ser residente também do Pacha, Stage Music Park e Café de La Musique. Com 14 anos, inspirado por Avicii e David Guetta, sendo autodidata, ele foi aprendendo sozinho a produzir e começou a lançar as suas primeiras tracks, dando forma ao projeto Blando que, hoje, aos 23, ganhou uma nova sonoridade, um estilo mais leve e progressivo. Além de tocar em clubes como P12, The Roof e eventos como Winter Play e Magic Island, Blando soma hoje mais de 1 milhão de plays em sua track “Que Se Dane”, apenas no Spotify, além de mais de 1 milhão também em seu remix de “Só Você”.

Podemos esperar ainda para 2021 muita música boa de Blando. Portanto, não deixe de conferir “Sweet Caroline Rework” pela House Mag Records, nova sub-label da Warner no Brasil, disponível em todas as plataformas digitais, e que pode se tornar o hino de comemoração de uma medalha para o voleibol brasileiro.

 

REDE SOCIAIS E APLICATIVOS

0:00
0:00